domingo, 29 de setembro de 2013

Sonhando com Poesia (Beto Ribeiro)

Não sei onde vou


Todos sabem onde me encontrar
Mas eu não sei onde estou
Eu fujo e corro para o mar
Só pra ver o sol se por


Não sei quem sou
Longe de ti
Nem sei para onde vou
Mas em todos os lugares só quero seu amor


Com uma única palavra
Me deu novas esperanças
Com um único olhar
Fez me sentir novamente uma criança.


(Autor: Beto Ribeiro)

 Beto Ribeiro é poeta desde a adolescência, já contribuiu com o blog Folhetim Cultural no ano passado e volta com o fim de semana literário. Pretende em breve publicar seu primeiro livro de poesias.
    É estudante, já foi modelo e pretende se dedicar a área de informática. Nasceu em Poá cidade em que vive até hoje.

Liberdade de Expressão (Dhyne Paiva)

Delícias

É bom dormir pensando em você;
É bom acordar querendo te ver;
É bom te dedicar o meu sorriso;
É bom encontrar em um olhar tudo o que preciso.

É bom não ter medo de arriscar;
Confesso que é bom deitar e com você sonhar;
É bom de nós não querer desistir;
É bom a um beijo não resistir.

É boa a ternura;
É bom o calor;
É boa a doçura;
É bom... É muito bom o amor.


(Autora: Dhyne Paiva)


Dhyne Paiva é estudante, poetisa e blogueira, escreve poesias desde os 13 anos, usa redes sociais e blogs para divulgar seu trabalho. Participou da primeira edição das exposições 2 Artes, Varal de Poesias e Um Poema em Cada Árvore (em Poá). Futuramente pretende se dedicar ao jornalismo, sem deixar de lado a poesia. Atualmente, tem uma coluna semanal no blog Folhetim Cultural, onde aos domingos faz uma pequena homenagem à grandes escritores brasileiros. Nasceu em São Paulo (SP) mas, resite atualmente em Guarulhos. 

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

1 Toque Cultural

O Jardim Pantanal abre suas ruas para a Feira Cultural e nada como um grande SARAU para alegrar a festa e mostrar o que há de melhor na cena local e de ilustres convidados!




Começa às 16h em ponto com uma Oficina de Desenhos para os baixinhos!

Depois teremos uma sessão de filmes muito especial que promoverá intercâmbio entre três locais:
Jardim Pantanal, Macaíba (RN) e Niterói (RJ)

Teremos um varal com a incrível literatura de cordel de Hailton Mangabeira, que aborda temas potiguares e de educação com textos sobre Paulo Freire.

Além desse varal teremos um muro onde tod@s podem colar seus desenhos e poemas que forem produzindo ao longo do evento!

Teremos projeções nas paredes com lindas artes!

Contação de histórias com a ilustre Lucimara Amorim!

Capoeira e maculelê!

O samba do Sambadelas!

Audição do poema wândallo #LOVYBIBLEBUBU2 de Érica Alves e Henrique Monnerat, que estarão conduzindo o evento com muito som dançante!

Finalizando a noite com
Show da Lei Di Dai e convidados
Dj Vinnieman GUETO PRO GUETO sistema de som


E tudo isso transmitido ao vivo pela Rádio Ardidas!

PALCO LIVRE e MIC ABERTO PARA TODOS PARTICIPAREM!


Realização:


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Sonhando com Poesia (Marco Antonio)

APRENDENDO A AMAR


Entre um suspiro e dois momentos de eternidade
Um anjo espera munido de flechas,
denominado cupido
Onde fostes pousar?


Cá me encontro e a ti pergunto:
Terias tu avistado tal criatura,
ou seriam todas as verdades
uma espécie de mentira dissimulada, turva e revoltante
para qual inventaram mil contos e histórias de amor?


Perguntava ensimesmado o poeta,
que resposta não tinha, nem teria jamais...
Perguntava ele:
o que seria
esta coisa de amor?
...e resposta não tinha.


Nas ondas remotas
um sorriso e o marulho
que recordava teu nome
enquanto outro poema nascia.


Na noite outra vez
a lua lembrava
quando o peito apertava
escapava um suspiro,
ele então percebeu
que não havia resposta
era um mar de sentimentos.

(Autor: Marco Antonio)

Oriundo dum pitoresco vilarejo as margens do rio Santana, Marco Antonio veio ao mundo em 14 de julho de 1991, passando a residir nos subúrbios cariocas pelos subsequentes dez anos; ao cabo dos quais mudou para o sul da Bahia, fonte de toda sua inspiração. Aos doze anos começaram as brincadeiras com as palavras, das quais se fez amigo. Adquirindo um gosto raro por este mundo mágico onde vive a poesia.

Poesia em Destaque (Tiago Lopes)

A transformação

O adormecer
O primeiro portal (coração)
O segundo portal (o corpo)
Terceiro portal (a alma)
O espirito
O desapego
O voo da liberdade
A separação
A morte do mito
Renascer

(Autor: Tiago Lopes)

Tiago Lopes da Silva nascido em 1986, em Nova Era (MG), é professor de Educação Física e pratica parkour. Residente atualmente em Guarulhos. Escrevo poesias casualmente a mais de 10 anos, mas é a primeira vez que têm suas poesias divulgadas em um veículo de comunicação.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Sonhando com Poesia (Edvaldo Paiva)

Mesmo Assim


Mesmo que tudo falhe;
Que tudo acabe;
Mesmo que não nos vejamos mais,
A distancia será incapaz
De apagar o que coração quer demais.

(Autor: Edvaldo Paiva)


Poesia em Destaque (Magno Oliveira)

Porto Solidão


Tudo bem você precisa partir
E eu vou ficar aqui nesse porto, porto solidão.
Pode ir
Eu não vou ficar para sempre com essa amarga sensação.
Você pode encontrar alguém que lhe faça sorrir
Você pode conquistar outro bobo coração.
Eu vou ficar aqui neste porto, porto solidão.
Olhando no céu os pássaros e o avião,
Quem sabe um “Ciao” lhe ofereço.
Andar sozinho eu não vou e nem mereço,
Mas você vai sentir minha ausência
Porque na hora do amor vai faltar minha experiência
E o meu carinho vai querer de volta e eu ele vou dar
Eu vou lhe amar
Mas quem vai ficar neste porto solidão será você
Então você vai se lembrar
Que um dia me magoou e voltou
Mas eu não vou voltar
E vou mentir dizendo que nunca você conseguiu me magoar.

(Autor: Magno Oliveira)

 Magno Oliveira criou o blog Folhetim  Cultural em 2010 com o radialista Bruno Martins. Teve a poesia Heroico Sorriso publicada no ano de 2011 no livro Antologia Poética do 1° Concurso de Poesias Augusto dos Anjos. Em 2012 criou seu blog oficial Poeta Magno Oliveira e ainda no segundo semestre deste ano pretende lançar seu primeiro livro de poesias.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Poesia em Destaque (Tiago Lopes)

Fênix

Eu, a gaiola e o mito (parte 1)

Quando te olhei pela primeira vez senti que o meu mundo mudaria a partir daquele momento. La estava uma linda gaivota inocente e pura, fui ambicioso e tratei logo de lhe aprisionar para minha satisfação.
Construí uma gaiola para você em meu coração e a levei para lá, você estava tão feliz e me fazia mais feliz ainda. Eu te venerava todos os dias e clamava por uma evolução de gaivota para fênix eu acreditava nisso você era especial, embora a fênix não passasse de um mito eu acreditava nesse mito.
Por muito tempo esperei varias luas se passaram, um dia cochilei e adormeci deixando a gaiola se enfraquecer, e você evoluiu ficou tão linda de beleza incomparável o verdadeiro mito da fênix. Você abriu suas asas e bateu tão forte contra a gaiola que quase escapou isso foi tão maravilhoso que acordei assustado me levantei olhei para a gaiola amassada e toda beleza que se comportava lá dentro, o mito estava vivo. Tratei logo de reformar a gaiola desamassei fiz uns retoques aumentei seu espaço, já estava ocupando quase todo meu coração. Você ficou tão feliz e tudo se refletia em mim.
Novas luas se passaram a minha fênix estava mui agitada não entendo por que, estaria ela tão maravilhosa que minha gaiola não será suficiente. Alguma coisa aconteceu durante o tempo que eu cochilei.
As vezes mesmo sem querer quando você abre suas azas e bate contra a gaiola a parte reformada e´ como se batesse dentro do meu coração, talvez porque a gaiola esteja mesmo lá dentro.
Talvez seja você querendo mais espaço, talvez seja hora de te libertar talvez o meu coração não consiga comportar um pássaro tão maravilhoso, talvez não devesse ter cochilado, talvez não devesse ter desejado que você se tornasse o meu mito que você mudasse.
Estou sofrendo mas dizem que a fênix é a ave da vida talvez ela me de vida antes q me mate, pois sei que se liberta-la morrerei sei também que nunca me arrependerei de um dia ter trago você para dentro de mim. Eu te amo e se houver verdade nesse mito eu a terei para todo sempre.

(Autor: Tiago Lopes)

Tiago Lopes da Silva nascido em 1986, em Nova Era (MG), é professor de Educação Física e pratica parkour. Residente atualmente em Guarulhos. Escrevo poesias casualmente mais de 10 anos mas, é a primeira vez que têm suas poesias divulgadas em um veículo de comunicação.


segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Sonhando com Poesia (Edvaldo Paiva)




Todo Amor

Todo amor é sagrado!
Mesmo sendo fruto do pecado, deve ser abençoado,
pois nasce pelo descuido de um olhar,
cresce com a vontade de se tocar
e só cria vida no momento de se amar.

(Autor: Edvaldo Paiva)


Poesia em Destaque (Magno Oliveira)

Hey Babe


Hey Babe,
Eu lamento
Não quis causar sofrimento
Mas você é uma queda de avião
Pro meu coração.
Eu sou um sobrevivente
De um erro fatal
Muita gente
Nessa se dá mal
Mas Babe comigo não.
Eu já sei de cor sua oratória
Sei que vão me cobrar moratória
E se eu levar em frente será em vão
Porque você é uma queda de avião
Pro meu coração.
Eu sou um sobrevivente
De um erro fatal
Muita gente nessa se deu mal
Mas eu não...
Eu não...
“Tô” vacinado
Não sou cão adestrado
Mas sei o que fazer
Para viver
Babe.

(Autor: Magno Oliveira)


Magno Oliveira criou o blog Folhetim  Cultural em 2010 com o radialista Bruno Martins. Teve a poesia Heroico Sorriso publicada no ano de 2011 no livro Antologia Poética do 1° Concurso de Poesias Augusto dos Anjos. Em 2012 criou seu blog oficial Poeta Magno Oliveira e ainda no segundo semestre deste ano pretende lançar seu primeiro livro de poesias.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

1 Toque Cultural (Opereta Convida)

Espetáculo (Des)água‏


O Coletivo ALMA – Aliança Libertária Meio Ambiente realiza gratuitamente oficina e espetáculo teatral de rua no próximo domingo (15), a partir das 14h00, no Espaço Cultural Opereta e Praça Afonso Carlos Fernandes, em Poá.A OFICINA: Comunicação Visual no Teatro de Rua

Objetivo: Aproximar o público alvo do formato do teatro de rua, suas características e demandas, com enfoque à visualidade, no exercício de pensar e criar figurinos, adereços, cenários e objetos cênicos.

Descrição: O trabalho será em torno de experiências práticas que levem o participante a observar como um texto pode ser dito sem o uso da palavra, naquilo que é possível dizer por meio de elementos visuais, um vestido, um adereço, um objeto, etc.; a adequação do espaço, a escolha e o posicionamento de elementos cênicos também serão observados nesse sentido, pois fazem parte do espetáculo e ajudam a compor o enredo que será contado. O grupo terá um trecho do texto do espetáculo (Des)água e alguns materiais para estimular o pensamento e a tradução do mesmo em visualidade, também podendo adotar materiais disponíveis no ambiente. Os participantes deverão escolher um local que se adeque às necessidades da cena a ser trabalhada. O trabalho será colaborativo e o
produto gerado, ou parte dele, poderá ser incorporado ao espetáculo.
Horário: 14 horas

Duração: 1 hora

Público alvo: Jovens e adultos interessados em teatro, artes visuais, artesanato e produção artística.

Sugestão de faixa etária: a partir de 14 anos.

Responsável: Samara Costa, artista plástica, arte-educadora, cenógrafa e figurinista, especialista em Arte Integrativa pela Universidade Anhembi Morumbi.


O ESPETÁCULO: (Des)água
Duração: 1 hora
Classificação etária: livre



Sinopse:
Um grupo de teatro encena a história de dois povos: o povo bacia celebra a natureza e o povo pneu aprisiona a força das águas. Mas um conflito provoca mudanças na fábula e no curso do rio. Em meio aos destroços, moradores de uma grande cidade são afetados por uma enchente e levantam questões em torno da permanência da população que vive às margens dos rios.

Ficha técnica:

Direção geral:
Edgar Castro
Direção musical: Raniere Guerra
Dramaturgia em colaboração: Rogério Guarapiran
Preparação corporal: Raniere Guerra, Mauro Grillo e Thabata Ottoni.
Figurinos e cenografia: Samara Costa
Elenco (atores e músicos): Adilson Camarão Fernandes - Adriana Gaeta Braga - Alexandre Falcão - Ana Rolf - Fabrício Zavanella - Letícia Elisa Leal - Mauro Grillo - Thiago de Oliveira Silva

Coletivo ALMA – Aliança Libertária Meio Ambiente
Contatos: (11) 2056-0253 – (11) 96761-8653 (Letícia) – www.coletivoalma.org

Espaço Cultural Opereta
Contatos: (11) 4638-2700 / 99318-8001 - www.acopereta.blogspot.com.br

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Sonhando com Poesia (Marco Antonio)

Genius


Uma lâmpada...
Esta história não começa
com uma lâmpada,
não é prosa nem tem pressa
faz do verso uma avalancha
no vácuo que o espaço
deixou no coração.


Ah! Como seria bom
não morrer em vão
não. Hoje não!
Já que logo mais cedo
tinha brisa e poente,
ao fundo uma lâmpada
que realizava um desejo.


O desejo qual seria?
Perguntei-me em displicência
a paciência conduzia-me
até que lhe faltou a resistência
a paciência já morria...
(como este verso desconexo)


Durante anos
um igual conceito
e tantos mais pretextos
para serem infelizes
por partes, são matrizes
de uma matriz descontrolada
que imprimem mil palavras
dando ao povo
novela e televisão.


Em outros dias
em outros dias
não havia
não queria
e sempre vinha
a cortejar-me sem porquê.


São momentos em que os dedos
descontrolam-se senhores
de composições inebriantes

dentre milhas e casas
milhares de estradas
qual será a primeira?


Verdadeiras eram as palavras
Verdadeiras eram, porém perdidas
no silêncio de outro gesto
o entrelaçar de duas línguas.


Cantam os artistas canções
e os profetas
dão um ar de apocalipse

para muitos, calcário
onde se constroem cenários
de paupérrimas veredas.

Ainda me resta um desejo
este qual seria?

Que o povo de hoje em dia
tenha mais amor!

(Autor: Marco Antonio)

Oriundo dum pitoresco vilarejo as margens do rio Santana, Marco Antonio veio ao mundo em 14 de julho de 1991, passando a residir nos subúrbios cariocas pelos subsequentes dez anos; ao cabo dos quais mudou para o sul da Bahia, fonte de toda sua inspiração. Aos doze anos começaram as brincadeiras com as palavras, das quais se fez amigo. Adquirindo um gosto raro por este mundo mágico onde vive a poesia.


Poesia em Destaque (Tiago Lopes)

Silencio


Nada se podia dizer, o silencio fazia jus aquele momento.
Não havia arrependimento, não havia dor.
Apenas um desejo incontrolável ardia em nossos corpos que se entregavam ao pecado da carne.
Um corpo puro intocado conhecia naquele momento os toques levianos e ardentes de uma paixão descontrolada que encurta o tempo da espera e beija aqueles lábios inocentes e levando aquele corpo a delírios ainda desconhecidos, entregando se sem medo algum só se ouvia amor só se falava amor só se fazia amar.
Eu podia sentir estremecer em meus braços brutos, robusto, mas que sabiam amar. E com um pouco mais de silencio era possível perceber seu coração se arrebentando contra o peito não se contendo ao desconhecido mas se entregando ao prazer.
De beijos a caricias aquela pureza se revela uma amante da arte de amar.
Momentos únicos para dois corpos momentos únicos para um tempo que não se repete da mesma forma.
O fogo que entrelaçam nossos corpos perdidos no pecado da carne se sucumbiam a maravilha dos céus, enquanto nossas almas pediam perdão por nossos corpos a um pecado conhecido e reconhecido pelo criador.
Nada se podia dizer o silencio fazia jus ao momento não há arrependimento, culpa ou dor.

(Autor: Tiago Lopes)

Tiago Lopes da Silva nascido em 1986, em Nova Era (MG), é professor de Educação Física e pratica parkour. Residente atualmente em Guarulhos. Escrevo poesias casualmente mais de 10 anos mas, é a primeira vez que têm suas poesias divulgadas em um veículo de comunicação.


segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Sonhando com Poesia (Edvaldo Paiva)

Vozes

Há vozes que saem do coração;
 Há vozes que saem em forma de lágrima 
gritada pela emoção...

Há vozes que saem de um olhar 
Há vozes que saem de um desejo sem falar.

Há vozes!

Há vozes loucas... 
Há vozes roucas...
 Loucas pela falta de liberdade... 
Roucas por sufocar uma saudade...

Há vozes que não dizem nada, 
Pois não há necessidade de dizer. 
Basta um olhar com olhar, 
deixar o gesto mostrar 
o que não dá pra esconder.

O que se pode dizer quando um grito
 não se permite ouvir? 
São as vozes do silêncio, 
Sussurradas pelo tempo com a dor 
De uma paixão a se consumir.

(Autor: Edvaldo Paiva)


Liberdade Alerta * Champigon

Músico Champignon é encontrado morto em sua casa em SP


O ex-integrante da banda Charlie Brown Jr. Luiz Carlos Leão Duarte Junior, conhecido como Champignon, foi encontrado morto com um tiro na boca na madrugada desta segunda-feira (9) em seu apartamento na região do Morumbi.



O baixista tinha 35 anos e estava em seu segundo casamento. A Polícia Civil investiga se ele cometeu suicídio. Vizinhos disseram que a polícia foi chamada depois de um barulho de tiro vindo do apartamento do baixista por volta de 0h30. Policiais militares e uma equipe do Samu foram ao local e já encontraram Champignon morto.
O corpo do baixista foi retirado do apartamento por funcionários do Instituto Médico-Legal (IML) pouco antes das 5h. O caso será registrado como suicídio no 89º Distrito Policial, em São Paulo.

Trajetória
Champignon tinha 35 anos e nasceu em Santos, litoral paulista. O músico lançou vários discos com a banda Charlie Brown Jr, que deixou em 2005, após brigas com o vocalista Alexandre Magno Abrão, o Chorão.
Nessa época, participou de outros projetos, como o grupo Nove Mil Anjos, que tinha Junior Lima (irmão de Sandy) na bateria.
Em 2011, Champignon retornou ao Charlie Brown Jr. fazendo com que a banda voltasse a contar com a presença dos quatro integrantes da formação original de 1992: Marcão, Champignon, Chorão e Thiago Castanho, além do baterista Bruno Graveto, que passou a integrar o grupo em 2008.
Após a morte de Chorão, em 6 de março deste ano, os membros do Charlie Brown lançaram a banda A Banca, que tinha Champignon como vocalista.
A próxima apresentação do grupo seria no dia 21 de setembro em Recife, Pernambuco, com a turnê “Chorão Eterno”, show que homenageava além de Chorão, toda a trajetória da banda Charlie Brown Jr.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Sonhando com Poesia (Marco Antonio)

Doctor X

Hoje meu chão cedeu
meu amor partiu
e não volta mais!


Hoje,
o que era certo
se enganou
quem sorriu,
já não o faz...


Quero a vida
que me foi tomada
Quero sim,
uma revira volta!


Hoje, ontem, depois,
mimetizam-se
no mesmo impasse.

(Autor: Marco Antonio)

Oriundo dum pitoresco vilarejo as margens do rio Santana, Marco Antonio veio ao mundo em 14 de julho de 1991, passando a residir nos subúrbios cariocas pelos subsequentes dez anos; ao cabo dos quais mudou para o sul da Bahia, fonte de toda sua inspiração. Aos doze anos começaram as brincadeiras com as palavras, das quais se fez amigo. Adquirindo um gosto raro por este mundo mágico onde vive a poesia.


Poesia em Destaque (Tiago Lopes)

Antecipar


As vezes me sinto como se não pudesse mais te abraçar, é como se meu calor não pudesse mais aquece-la.
Nada acontece mas minha ansiedade antecipa meu sofrimento, sofrimento que não existe mas temo um dia chegar até mim.
Hoje parei e olhei para traz e não sabes como estou feliz de ter chegado ate aqui ao seu lado.
Quando fecho os olhos é como se uma tempestade virtuosa viesse para nos inundar e sufocar nosso sonhos e planos de uma vida inteira, mas quando abro os olhos a tempestade nada mais parece que uma neblina que nos convida a uma dança.
Dança da vida onde a realidade e sonhos se converge em uma cama de prazer para nossos corpos.
Nesses momentos meus temores são como grãos de areia em plena praia e meus braços pudessem aquecer todo o seu mundo.

(Autor: Tiago Lopes)

Tiago Lopes da Silva nascido em 1986, em Nova Era (MG), é professor de Educação Física e pratica parkour. Residente atualmente em Guarulhos. Escrevo poesias casualmente mais de 10 anos mas, é a primeira vez que têm suas poesias divulgadas em um veículo de comunicação.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Poesia em Destaque (Magno Oliveira)

Garoa de São Paulo


Quando não estou em São Paulo
Estou só! Tudo é não
Tudo é solidão
Sem a garoa de São Paulo.
Avenida São João,
República, MASP, Mercado Municipal,
Morumbi, aqui longe onde vocês estão?
Correr pela Marginal
Descer para o litoral
Sem São Paulo me sinto mal...
Quando não estou em São Paulo
Estou só! Tudo é não
Tudo é solidão
Sem a garoa de São Paulo...

(Autor: Magno Oliveira)

Magno Oliveira criou o blog Folhetim 
Cultural em 2010 com o radialista Bruno Martins. Teve a poesia Heroico Sorriso publicada no ano de 2011 no livro Antologia Poética do 1° Concurso de Poesias Augusto dos Anjos. Em 2012 criou seu blog oficial Poeta Magno Oliveira e ainda no segundo semestre deste ano pretende lançar seu primeiro livro de poesias.

domingo, 1 de setembro de 2013

Liberdade de Expressão (Dhyne Paiva)

Máscaras
Um sorriso sem vida;
uma lágrima sem dor.
Mágoas escondidas;
alegrias reprimidas.
Máscaras por todo os lados.

Por trás delas,
segredos obscuros
que não são divididos
nem com as sombras da solidão.
Segredos de túmulo.

Por trás delas também,
sonhos "abusivos"
que o medo jamais deixa
serem colocados em prática.
Sonhos de coragem.

Porém, tudo vai além disso.
Estas mascaras escondem
mais do que segredos e sonhos.
Escondem sentimentos,
caráteres e desejos.

Desejos de perdão ou vingança.
Desejo de qualquer coisa
que implique autossuficiência.
Desejos de sermos
quem jamais poderíamos ser.
Desejos de querer.


Autora: Dhyne Paiva.


Dhyne Paiva é estudante, poetisa e blogueira, escreve poesias desde os 13 anos, usa redes sociais e blogs para divulgar seu trabalho. Participou da primeira edição das exposições 2 Artes, Varal de Poesias e Um Poema em Cada Árvore (em Poá). Futuramente pretende se dedicar ao jornalismo, sem deixar de lado a poesia. Atualmente, tem uma coluna semanal no blog Folhetim Cultural, onde aos domingos faz uma pequena homenagem à grandes escritores brasileiros. Nasceu em São Paulo (SP) mas, resite atualmente em Guarulhos.